segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

o nosso grande problema é que a gente passa o tempo buscando saber aquilo que não conhece
invés de investigar aquilo que a gente sabe!
do meu amigo fábio:
- e como taí, fábio?
-aah cara, acho que tá a mesma porcaria! acho que só mudou o calibre das armas!



o corpo de repente vai te contar um segredo
não da pra esperar que a alma venha nisto de carne
pra viver por si mesma em menos que fumaça!




elas estão sempre com outros caras
ou no nosso medo, ou na nossa fantasia, e daí um dia despencam - MEU DEUS! - na nossa realidade...





dói sempre mais
naquilo que não esperávamos




é aquele negócio
quando você bate as cartas com uma certa intensidade na mesa
a gente já sabe que jogo você está jogando!
como fomos meninos...!
e isto só importa pra gente!
as casas que você me leva pra ver...
"me levava" - me perdoe, entro no passado!

eram as suas? casas passadas!
casas que depois seriam
"casas" - ideia apenas - e depois morariam minhas tias reminiscentes!
aliás, "tias nossas!"

a gente 
pegava ônibus como quem andava em cometas

a gente chegava em locais estranhos
agora há outros bairros

ficamos sem graça quando nos ligamos
ou se uma tecnologia nos coloca novamente "cara a cara"
eu lhe pergunto:

"cara a cara?
antigamente você tinha que dar um tiro na cabeça e arrastar pelos pés o corpo pra fora do quarto.
hoje basta clicar no "x"!
você chega pro seu amigo de 20 anos atrás
e diz:

- agora eu sei que tudo que a gente amou...

- que que tem?

-...engordou!
primeiro a gente nem fala
depois a gente fala qualquer coisa
a gente aposta na loteria
acha que com os 18 é que virão...que virá a vida!

depois a gente envelhece...
não é que não precisa do segundo dia
não precisa do segundo segundo
basta o primeiro

os olhos dela
um cheiro já chegou
ela saiu do plural que era uma espera
já entrou na vida
já virou um quadro na parede do meu gosto

já escreverei sobre ela
já idealizarei novas culturas
e
pátrias!

e depois disto infartarei
terei um derrame numa casa sem minha família

depois disto
depois nem existe mais!